Publicações

Os retardantes de chama ajudam a diminuir a velocidade de propagação do fogo

O Fire Technology, periódico em que os estudos publicados são revisados por especialistas da área técnica para validação do conteúdo, divulgou um estudo do Dr. Matthew Blais e da Dra. Karen Carpenter, pesquisadores científicos do Southwest Research Institute  de San Antonio, Texas, nos Estados Unidos, que mostra que os retardantes de chama fazem uma diferença significativa na prevenção e desaceleração da propagação do fogo.

Sobre o estudo do Southwest Research Institute

O estudo “Espumas flexíveis de poliuretano: uma medição comparativa de vapores tóxicos e outras emissões tóxicas em ambientes de combustão controlados com espumas com e sem retardantes de chama”, comparou espumas flexíveis de poliuretano com e sem retardantes de chama em protótipos mobiliários para analisar a eficácia dos químicos e sua influência na toxicidade da fumaça. Os pesquisadores também analisaram o impacto dos materiais de barreira contra incêndio (interliners) no crescimento do fogo e na toxicidade da fumaça.

Destaques do estudo

Pequenas fontes de chama aberta (open flame)
  • Os retardantes de chamas nas espumas ajudaram a evitar a ignição de pequenas fontes de chamas abertas.
  • A combinação de um interliner com uma espuma tratada com retardantes de chama tornou o mobiliário altamente resistente ao fogo.
  • Barreiras contrafogo impediram a ignição quando estavam completamente intactas. Mas quando a barreira foi violada e a espuma não apresentou retardantes de chama, produziu a fumaça mais tóxica entre os diferentes cenários testados.
  • Quando os retardantes de chama estão presentes, eles retardam ou param o fogo, de modo que há pouca ou nenhuma emissão de fumaça.
  • A propagação da chama durante os testes foi 25% mais lenta para a espuma tratada com retardantes do que para a espuma não tratada com retardantes de chama.
Grandes fontes de chamas aberta (open flame)
  • Se a espuma for ignizada por uma fonte maior de chama aberta, a espuma tratada com retardantes de chama queima mais devagar e com menos intensidade do que se não tivesse os retardantes de chama.
  • Não houve diferença estatística na toxicidade da fumaça entre as espumas tratadas com retardantes e as espumas não tratadas com retardantes de chama.
  • O estudo não mostrou diferença entre as espumas tratadas e as espumas não tratadas com retardantes de chama quando se tratava da liberação de dioxinas e furanos clorados.
 Sobre os autores

Dr. Matthew Blais e Dr. Karen Carpenter são pesquisadores científicos do Southwest Research Institute de San Antonio, Texas, nos Estados Unidos.

Reconhecimentos

Este trabalho foi comissionado pela North American Fire Retardant Association e pelo American Chemistry Council.

Este texto é uma tradução do artigo Flame retardants help to slow down the spread of fire, disponível em inglês no site da BSEF, the International Bromine Council, publicado em maio de 2014 e disponível no link.